quinta-feira, 12 de janeiro de 2017




Ai! Que saudades do lampião a querosene,
Das tardes canoras do meu sertão.
Dos passeios pelas roças de café,
Vendo o sabia beliscando o mamão.
 
O amanhecer na roça era gostoso de ver
Ar puro, cheiro de relva, neblina na baixada,
Gado bom de leite, a ordenha quente pra beber,
O dia mal clareava eu ouvia o cantar da passarada.
 
Á aurora se desfazia dando lugar ao sol quente
No espigão um pé de ipê jazia florido e solene,
O vovô e o papai saiam cedo, sempre contentes,
Cultivam a mãe terra que nos dava o sustento.

SITE DE POESIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sonha e serás livre de espírito... luta e serás livre na vida.
― Che Guevara