Google+ Followers

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

A casinha que vovô morou era bem longe da cidade, distante do progresso e da modernidade, no entanto, era coberta de carinho e em cada cantinho reinava a felicidade.
Edmilson Providencia




segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Invejo as flores que murchando morrem,
E as aves que desmaiam-se cantando
E expiram sem sofrer...
Álvares de Azevedo



Musicas pra relaxar e descansar,com fotos da mata.


A música é celeste, de natureza divina e de tal beleza que encanta a alma e a eleva acima da sua condição.
Autor:Aristóteles
















Contemplar a natureza é apreciar Deus em
cada ponto que seu olhar atingir

Jader Amadi





sábado, 16 de setembro de 2017

https://www.facebook.com/ROCALIRIOSDOCAMPOO/videos/1728904513788382/

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Quero um lugar para descansar
Ficar longe de tudo e de todos
um lugar onde tenha um encanto
Só em um jardim amigo conseguirei esse descanso...
Leandro Maciel


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Um Lugar
De pés sujos, despenteada, roupa rasgada.
Foi assim minha infância, privilegiada!
Subia em árvore, ajuntava lindas pedrinhas,
Pedalava minha bike, brincava de casinha,
Modelava argila, nadava na represa, corria na chuva,
Fazia trilha, me enroscava em arame farpado!
Tinha pato, vaca, cachorro, galinha,
Porco, gato, coelho é o que mais tinha!
Cutucava o toro, e corria,
E ficava horas trancada na estrebaria,
No chiqueiro quase nem ia,
No galinheiro minha mãe me encontrava!
Era uma aventura ir a 20 km em cima do trator com meu pai,
E mais divertido ainda andar em meio a roça!
Cinco da manhã o relógio despertava
No escuro, na chuva, no frio. Não importava!
Pra estudar já devia pegar a estrada.
Chegava final de semana eu já sabia,
No sábado panquecas, no domingo churrasco,
Toda a família se reunia.
Vó, vô, tios e tias...
“Cristiane, Renan, Tainara, Jaqueline e Maiara”
Nós cinco brincava de casinha, e as vezes se desentendia!
Quando aparecia Willian e Vinicius, eu me surpreendia,
Eram meus outros primos que quase não via!
Pegamos sapos e besouros;
Durante as noites, corríamos atrás de pisca-pisca.
Lembro muito dos meus aniversários,
Comemorei sempre com minha mana,
Tinha bolo, doces, salgados, refrigerantes
Balão, presentes, amiguinhos e muita gente velha!
Minha irmã e companheira de tudo me protegia, 
Eu, em agradecimento a agredia... 
Mas ela sempre foi minha melhor companhia!
De minha mãe e meu pai, eu não entendia,
E disso eu não sofria.
Às vezes eu me escondia e eles se desesperavam!
Sempre havia um lugar onde eu me encaixava,
Pra brincar, pra chorar e sonhar.
Um cantinho só meu.
Mas enfim, eu era feliz...
Do meu jeitinho, e mais nada.
Pois não foi só o lugar, foi minha infância.
Maiara Aline Belle